sexta-feira, 24 de abril de 2015

Renan diz que regulamentar terceirização da atividade-fim é retrocesso

O presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), disse hoje (23) que a Casa fará uma avaliação criteriosa e sem pressa do Projeto de Lei (PL) 4.330/2004, que regulamenta a terceirização. A votação das emendas e destaques foi concluída ontem (22) pela Câmara dos Deputados. Renan disse que a matéria tramitará em várias comissões do Senado e que ainda não chegou até ele.

“Ter pressa nessa regulamentação, significa, em outras palavras, regulamentar a atividade-fim, e isso é um retrocesso, uma pedalada no direito do trabalhador”, ressaltou o presidente do Senado após breve reunião sobre o assunto com o deputado Paulo Pereira da Silva (SP), o Paulinho da Força Sindical, presidente do SD.

Paulinho disse que explicou a Renan a importância do projeto e de sua aprovação também pelo Senado. “Não podemos permitir que, depois de tanto esforço na Câmara, o Senado não vote um projeto que regulamenta 12 milhões de pessoas e acerte, daqui para frente, como serão os contratos, não só das empresas, mas também dos trabalhadores, oficialmente garantindo os direitos.”

Segundo o deputado, Renan garantiu que ouvirá todos os lados, com reuniões com as centrais sindicais na próxima semana. “Esperamos que esse debate seja aqui amplo, com todo mundo, quem é contra e quem é a favor.” Paulinho acrescentou que os trabalhadores não podem ficar sem seus direitos garantidos por mais de 11 anos, em referência ao tempo que o projeto levou para ser aprovado na Câmara. “Tem muita gente que nem leu o projeto e já fica falando contra. Então, vim fazer esse esclarecimento, porque conheço o projeto desde o início.”

Renan disse que o projeto terá tramitação normal no Senado e que é fundamental regulamentar a terceirização, mas ponderou que, na forma em que o texto virá da Câmara, permite a terceirização da atividade-fim. “Essa regulamentação não pode significar só regulamentação da atividade-fim. Isso é uma inversão, é uma involução, significa revogar a Constituição, os direitos e as garantias individuais e coletivos.”

“O PMDB é responsável pelo Artigo 5º da Constituição Federal, de direitos e garantias individuais e coletivos. Não podemos, de forma nenhuma, permitir uma discussão apressada de modo a revogar a CLT [Consolidação das Leis do Trabalho]. É esse o papel que o Senado terá”, destacou Renan.
___________________________________________
Fonte: http://agenciabrasil.ebc.com.br/politica/noticia/2015-04/renan-diz-que-regulamentar-terceirizacao-da-atividade-fim-e-retrocesso

segunda-feira, 20 de abril de 2015

PT teme que punição da Lava Jato casse ou 'inviabilize' seu registro

A cúpula do PT teme que as ações dos investigadores da Operação Lava Jato acabem por "inviabilizar'' o funcionamento do partido e até por levar à cassação do registro da legenda.

Antes mesmo da prisão de João Vaccari Neto, o tesoureiro da sigla, na quarta (15), dirigentes afirmaram reservadamente à Folha terem sido informados por pessoas que acompanham os desdobramentos da operação de que o partido deve sofrer sanções financeiras para ressarcir os cofres públicos pela corrupção no esquema da Petrobras.

Desde então, a sigla se prepara, nas palavras de um grão-petista, para uma multa de ''valores astronômicos'' a ser estipulada pelas instâncias judiciais.

Segundo a Folha apurou, petistas esperam uma multa correspondente ao valor que Pedro Barusco, ex-gerente da Petrobras, revelou em delação premiada serem propinas pagas ao PT e ao próprio João Vaccari.

Ele estimou que o PT tenha recebido entre US$ 150 milhões e US$ 200 milhões entre 2003 e 2013 de propina retirada dos 90 maiores contratos da Petrobras.

O Ministério Público Federal já sinalizou que pedirá punições aos partidos políticos envolvidas na Lava Jato, mas não detalhou quais serão.

Até agora, os pedidos de punição se restringem a políticos e dirigentes partidários.
Para petistas ouvidos sob condição de anonimato, a multa "destruirá'' o partido porque a fonte de arrecadação para pagá-la ''secou''.

As empreiteiras são o principal alvo da Lava Jato e parte delas enfrenta problemas de caixa. Nesta sexta-feira (17), o Diretório Nacional do PT divulgou uma resolução política em que suspende o recebimento de doações de empresas privadas.

"MORTE SEM OXIGÊNIO"
Mesmo antes da decisão, o partido dava como certo que as doações desapareceriam a partir de agora, principalmente em anos não eleitorais. A mesma avaliação é compartilhada, como a Folha já relatou, por empreiteiras.

O fundo partidário, outra forma de sustento das legendas, também ficaria comprometido. Técnicos do Tribunal Superior Eleitoral ouvidos pela Folhaafirmam que, se a punição se confirmar, a multa pode ser para ressarcir aos cofres públicos recursos desviados descobertos pela operação.

Neste caso, segundo a lei dos partidos políticos, ficaria suspensa a participação da agremiação no fundo partidário até que o esclarecimento seja aceito pela Justiça Eleitoral. Um interlocutor do Judiciário define o imbróglio como "morte sem oxigênio'' para o PT.

Em 2014, por exemplo, o PT recebeu cerca de R$ 25 milhões de fundo partidário.

No caso da cassação, um especialista em direito eleitoral afirma que não há base normativa que a autorize, mas foi proposta no pacote anticorrupção da Procuradoria-Geral da República.

No pacote, apresentado em março, estão previstas multa, suspensão e até cassação do registro do funcionamento de partido envolvido com desvio de dinheiro público.

As propostas serão discutidas pelo Congresso e dependem dos parlamentares para serem transformadas em lei.

Diante do cenário sombrio, o PT vai insistir em que os recursos para todos os partidos vinham do mesmo lugar: as construtoras.

Ou seja, segundo essa tática, se houver multa para o PT, precisa haver multa para todos os demais partidos.
________________________________________
Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/04/1618700-pt-teme-que-punicao-da-lava-jato-casse-ou-inviabilize-seu-registro.shtml

domingo, 19 de abril de 2015

Feliz aniversário professor!


Hoje é o aniversário do professor Edson Lima, sindicalista e fundador do SINTE RN em São José de Mipibu, fundador e membro honorário da STVBrasil, educador com larga experiência docente em várias escolas do estado.

Parabéns professor!
__________________________________
Fotografia do Facebook do aniversariante.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

É tempo de viver sem medo ....

Advogado de José Dirceu do PT está preocupado com boatos que apontam como certa nova prisão

Advogado Roberto Podval está preocupado com os boatos que circulam pelas redes e indicam como
provável nova prisão do ex-capa preta do PT, José Dirceu, já condenado por envolvimento em escândalo.

Podval disse que vem recebendo mensagens dando como certa a prisão do Dirceu. Ele procurou o juiz responsável pela operação Lava Jato para buscar informações, mas nada obteve.
.
..

quinta-feira, 16 de abril de 2015

Oportunidade

Últimos dias para se inscrever nas oficinas de música do IMWA

O Instituto de Música Waldemar de Almeida, por meio da Fundação José Augusto, está com inscrições abertas para oficinas de canto e diversos instrumentos até sexta-feira (17). Os interessados podem comparecer ao Instituto das 8h às 17h. Na segunda-feira (20) haverá entrevista seletiva. 
Cada oficina tem duração de nove meses. As aulas são gratuitas e voltadas a iniciantes e músicos que desejam se aperfeiçoar. O Instituto de Música Waldemar de Almeida fica na Rua Açu, 666 – Tirol. Informações: (84) 3232-5357.

Oficinas
Bateria (Silvio Franco) - segunda-feira (matutino e vespertino)
Guitarra (Jubileu Filho) - terça-feira (manhã e tarde)
Canto popular (Sabrina Fernandes) - segunda-feira (manhã e tarde) 
Violão Popular (Cacá Vellozo) - terça-feira (manhã e tarde)
Baixo elétrico (Erick Firmino) - terça-feira (manhã e tarde)

Flauta doce, transversal e pífano (Carlos Zens) - quinta-feira (manhã e tarde) 

quarta-feira, 15 de abril de 2015

Tribunal de Contas da União diz que governo cometeu crime de responsabilidade fiscal

TCU diz que governo cometeu crime de responsabilidade fiscal

BRASÍLIA - O Tribunal de Contas da União (TCU) declarou não haver mais nenhuma dúvida de que o governo Dilma Rousseff incorreu, de fato, em crime de responsabilidade fiscal, ao utilizar recursos de bancos públicos para inflar artificialmente seus resultados e melhorar as contas da União. As operações, que contrariam frontalmente a Lei de Responsabilidade Fiscal, passaram a ser conhecidas como "pedaladas fiscais".

"Não tenha dúvida. Há um descumprimento de lei. Um banco público não pode emprestar dinheiro para o governo. É como se você estivesse devendo no seu cheque especial, e o governo não pode ter esse cheque especial", disse o relator do processo do TCU, José Múcio. "Faltou dinheiro e a conta foi paga por terceiros". Nos cálculos do TCU, mais de R$ 40 bilhões foram sacados pelo governo das contas do Banco do Brasil, Caixa e BNDES, para engordar a contabilidade fiscal e se aproximar da meta de superávit primário, a economia feita para o pagamento dos juros da dívida pública. 
Na prática, a decisão do plenário do TCU sobre as "pedaladas fiscais" pode fortalecer a intenção da oposição, que analisa um possível pedido de impeachment de Dilma por "crime de responsabilidade". Após as manifestações do dia 12, o PSDB pediu ao ex-ministro da Justiça Miguel Reale Júnior que avaliasse a possibilidade. Ao EstadoReale Júnior disse que o seu parecer não se refere, na prática, ao impeachment, mas sim à avaliação se houve um crime comum para a solicitação de uma eventual ação penal. "O ponto nuclear é a análise das 'pedaladas fiscais' detectadas no TCU", disse.
O tema impeachment foi levantado em uma reunião da bancada de deputados com o presidente nacional da sigla, senador Aécio Neves (MG). No final do encontro, Aécio pediu para que deputados que defendiam a proposta se manifestassem. Praticamente todos os presentes levantaram a mão a favor. O principal defensor da ideia na Câmara é o líder da minoria, Bruno Araújo (PE), que conta com o apoio do líder da bancada, Carlos Sampaio (SP).
Explicações. Em decisão tomada nesta quarta-feira, 15, pelo plenário do TCU, 17 autoridades do governo Dilma Rousseff terão de explicar essas operações. O ministro José Múcio Monteiro deu 30 dias de prazo improrrogável, para que todos prestem informações sobre as irregularidades nas contas. Caso sejam condenadas, as autoridades podem ser alvos de multas e processos por crime de responsabilidade. O TCU tenta identificar quem deu a ordem para as "pedaladas". Perguntado se a presidente Dilma poderia ser chamada a dar explicações, Múcio disse que essa possibilidade "não é avaliada".
Mas o presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, entrou para a lista de convocados para prestar esclarecimentos sobre a utilização de dinheiro de bancos públicos pelo governo. Além de Tombini, a corte de contas quer ouvir explicações do atual presidente da Petrobrás e ex-presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine.
Também estão listados o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega; o ex-secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin; o atual ministro do Planejamento, Nelson Barbosa; o ministro do Trabalho, Manoel Dias; o ex-presidente da Caixa Jorge Hereda, e o presidente do BNDES, Luciano Coutinho.
As 'pedaladas' no Banco do Brasil envolveriam, por exemplo, recursos para subsidiar juros baixos em financiamentos de produtores rurais e incentivos a exportadores. A situação motivou representação de acionistas minoritários do banco ao TCU para que a situação fosse apurada.
Banco Central. Presente na sessão plenária do TCU, o procurador-geral do Banco Central, Isaac Ferreira, disse que o BC não tem, por competência, a tarefa de detectar as irregularidades fiscais que foram cometidas pelo governo. Ferreira também fez questão de frisar que Alexandre Tombini não é alvo de investigações ou acusações de irregularidades, mas foi chamado apenas para prestar esclarecimentos. "O Banco Central não tem competência para captar irregularidades fiscais, nem para punir bancos que porventura foram acusados de cometer irregularidades fiscais", disse Ferreira.
Segundo o procurador, o BC não é órgão de execução da política fiscal, não ordena despesa nem arrecada receita orçamentária, cabendo-lhe apenas elaborar estatísticas fiscais, "o que é bem distinto da execução ou contabilidade orçamentária". 
"Quanto ao mérito, tenho a convicção jurídica pessoal de que, do ponto de vista da regulação bancária, sequer enxergo elementos que caracterizem operação de crédito vedada. De todo modo, os trabalhos do TCU ainda estão em sua fase inicial e tudo se submeterá ao crivo do contraditório", afirmou Ferreira.
______________________________________________
Fonte: http://economia.estadao.com.br/noticias/geral,tcu-diz-que-governo-cometeu-crime-de-responsabilidade-fiscal,1670602

O impeachment de Dilma do PT

Oposição decide agir de forma conjunta sobre o impeachment de Dilma

.............Cinco partidos de oposição decidiram nesta quarta (15) agir de forma conjunta em relação a um eventual pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Apesar de algumas siglas defenderam as investigações contra a presidente de forma imediata, os oposicionistas vão unir forças para tomar uma decisão conjunta sobre o impeachment e, como consequência, evitar o enfraquecimento do pedido –se optarem por esse caminho.
.............PSDB, DEM, PPS, PV e SD vão aguardar um estudo jurídico encomendado pelos tucanos a juristas, como Miguel Reale Júnior, para decidir se vão ingressar com o pedido de impeachment na Câmara. O estudo deve ficar pronto na próxima terça-feira (21).
.............Nos bastidores, os oposicionistas afirmam que o estudo deve apontar motivos concretos para a abertura de investigação contra Dilma, o que deve forçar os partidos a apresentarem formalmente o pedido à Câmara –uma das principais reivindicações das manifestações populares contra o governo realizadas em março e no último domingo (12).
............."Acho que vai ser inevitável. Nós vamos levantar motivos concretos que mostram o envolvimento da presidente", disse o presidente do Solidariedade, deputado Paulo Pereira da Silva (SP).
............."Não há ainda essa definição, mas qualquer que seja ela, será tomada em conjunto pelos partidos de oposição", completou o presidente do PSDB, senador Aécio Neves (MG).
O tucano disse que os partidos têm responsabilidade de avançar na questão do impeachment quando tiverem "avaliações jurídicas isentas" de que Dilma cometeu crime de responsabilidade –o que abre caminho para o pedido de investigação.
............."O agravamento da crise está claro. A prisão hoje do tesoureiro do PT, que até poucos dias era recebido com aplausos, com ovações pelos seus correligionários, é algo extremamente grave", afirmou.

SAIA JUSTA
.............Os presidentes dos partidos de oposição se reuniram nesta quarta com os representantes do movimento "Vem para a Rua", que organizou protestos contra o governo federal. Os manifestantes deixaram os congressistas numa "saia justa" ao criticarem a postura da oposição no Congresso e cobrarem uma posição concreta das siglas sobre um eventual impeachment de Dilma.
.............O grupo entregou para os oposicionistas a "Carta do Povo Brasileiro", que reúne as principais reivindicações dos movimentos das ruas contrários ao governo.
............."Faz sete meses que as ruas se organizam e vêm protestar. Isso é sem precedentes no Brasil. Até a rua pode se organizar, por que a oposição não pode se organizar? Só o Congresso pode fazer [as mudanças]. Chegamos no nosso limite do nosso protesto e organização de civismo. Levar 3 milhões de pessoas sem ter uma vitrine quebrada, é uma demonstração impossível do que acontece nas ruas. Esperamos a demonstração do impossível do que pode ser feito nas duas Casas", disse Rogério Chequer, do Vem para a Rua.
.............Aécio tentou argumentar dizendo que a pauta dos manifestantes já é adotada pela oposição há "vários anos", mas foi obrigado a se posicionar de forma objetiva se apoiaria as reivindicações. "É sim ou não, senador?", questionaram os manifestantes.
............."Essa já é uma pauta que defendemos há muito tempo, o fato novo é que a sociedade está dando eco ao que já defendíamos", disse Aécio.
............."Mas é sim ou não?", insistiu o representante do movimento Instituto Democracia, Paulo Angelim.
.............Em sua última fala aos manifestantes, Aécio disse que dava um "sonoro sim" à pauta de reivindicações. O mais aplaudido foi o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), que defendeu de forma explícita o impeachment de Dilma.
............."Tivemos a coragem de enfrentar o PT e dizer que impeachment, sim, é previsto pela Constituição brasileira. Vocês não vão se decepcionar conosco", disse o democrata.
.............O presidente do DEM, José Agripino Maia (RN), pediu que os manifestantes se unam aos congressistas em busca de mudanças. "Que agente possa se somar em argumentos e oposições. A oposição está unida no melhor sentido, que é o de vocês."
_______________________________________________
Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/poder/2015/04/1617107-oposicao-decide-agir-de-forma-conjunta-sobre-impeachment-de-dilma.shtml

Tesoureiro do Partido dos Trabalhadores é preso pela operação Lava Jato

Lava Jato encontra 'depósitos picados' na conta da mulher do tesoureiro do PT

Analistas do Ministério Público Federal identificaram repasses que somaram R$ 322 mil em favor de Giselda Rousie de Lima

Por Ricardo Brandt, enviado especial a Curitiba, Fausto Macedo e Julia Affonso

A força-tarefa da Operação Lava Jato – investigação sobre corrupção na Petrobrás – identificou depósitos ‘picados’, no limite próximo de R$ 10 mil, que somaram R$ 322,9 mil em conta da mulher do tesoureiro do PT, João Vaccari Neto. Em um único dia, 12 de dezembro de 2013, Giselda Rousie de Lima recebeu em conta cinco depósitos, quatro deles no valor de R$ 2 mil e um de R$ 1.500.
O rastreamento bancário de Giselda pegou o período entre 1.º de julho de 2006 e 18 de dezembro de 2014.
Contra a mulher do tesoureiro a Justiça Federal expediu mandado de condução coercitiva, mas na manhã desta quarta feira, 15, policiais federais tomaram seu depoimento na própria residência dos Vaccari, em São Paulo. Giselda não precisou ser levada para depor na Polícia Federal.
Trechos de pedido de prisão de Vaccari que fala de sua mulher, Giselda
Trechos de pedido de prisão de Vaccari que fala de sua mulher, Giselda
Os analistas do Ministério Público verificaram operações de depósitos bancários ocorridas com “características de fracionamento” ou em valores próximos ao limite de identificação da operação pela instituição bancária – a Circular 3461/09, do Banco Central, estabelece que os bancos devem identificar transações realizadas com uma mesma pessoa que superem a quantia de R$ 10 mil.
“Em que pese a estruturação de depósitos não seja por si só ilícita, trata-se de
expediente comum na lavagem de capitais”, registrou o MPF.

Em 2008, os depósitos fracionados na conta da mulher do tesoureiro do PT bateram em R$ 16 mil. Já em 2011, saltaram para R$109,1 mil.Em 2014, ano que estourou a Operação Lava Jato, os ‘picados’ abasteceram em R$ 31,5 mil a conta de Giselda.
Além dos depósitos fatiados’, os peritos do Ministério Público Federal constataram, a partir da quebra do sigilo bancário, que caíram na conta da mulher do tesoureiro do PT repasses superiores a R$ 10 mil, também em dinheiro, que somaram R$ 260,5 mil, entre 19 de setembro de 2008 e 29 de outubro de 2012.
_____________________________________________
Fonte: http://politica.estadao.com.br/blogs/fausto-macedo/lava-jato-encontra-depositos-picados-na-conta-da-mulher-do-tesoureiro-do-pt/

terça-feira, 14 de abril de 2015

segunda-feira, 13 de abril de 2015

Processados por salvar vidas

Caros amigos,

A Philip Morris, grande fabricante multinacional de cigarros, moveu uma ação contra o governo do Uruguai porque o país tem algumas das melhores leis antitabagistas do mundo. Há uma grande possibilidade que a empresa vença, a menos que nossas vozes fortaleçam a luta popular no tribunal. 

É uma realidade assustadora pensar que uma empresa, cujo produto mata, pode derrubar leis que protegem a saúde pública. Mas se as vozes da nossa comunidade forem levadas ao tribunal por uma equipe de advogados de alto calibre, seremos uma força que juiz nenhum poderia ignorar. Mostraremos que esta ação abre um precedente horrível que ninguém apoia.

Vamos dizer ao tribunal que esta decisão não afeta apenas o Uruguai – se grandes multinacionais de tabaco conseguirem o que querem, será aberto um precedente para derrubar leis em toda parte. As empresas de tabaco já têm pelo menos quatro outros países na mira, e as leis antitabagismo de muitos outros também estariam ameaçadas. 

Precisamos nos mobilizar rapidamente, pois o tribunal já está ouvindo argumentos. Clique abaixo para proteger a saúde pública e nossas democracias da cobiça multinacional: cada um de nossos nomes será enviado ao tribunal: 


O Uruguai exige que 80% do espaço em carteiras de cigarro seja coberto com avisos médicos e imagens de alerta. O hábito de fumar havia alcançado níveis críticos no país, matando cerca de 7 pessoas por dia, mas desde que esta lei foi introduzida, o índice de tabagismo diminuiu a cada ano! A multinacional tabagista Philip Morris argumenta que as advertências não deixam nenhum espaço para exibição de marcas registradas. 

Tudo isso faz parte de uma estratégia global da Philip Morris para processar e intimidar os países. A empresa já deslanchou uma ação judicial caríssima na Austrália – e se ganhar contra o Uruguai, pode vir a abrir processos contra mais de uma centena de países, dentre os quais França, Noruega, Nova Zelândia e Finlândia, que consideram impor uma nova legislação para salvar vidas. 

Segundo especialistas, a Philip Morris tem grande possibilidade de ganhar por estar usando um tribunal internacional em que os casos são discutidos a portas fechadas. No ano passado, este tribunal decidiu a favor das empresas em dois terços dos casos. As decisões do tribunal são compulsórias, ainda que muitos dos juízes sejam pessoas físicas com laços empresariais em vez de especialistas jurídicos imparciais. Depende de nós fazer com que eles considerem o efeito devastador que suas decisões poderiam ter na saúde global.

O Uruguai tem sua própria equipe jurídica, mas ela está no momento focada em defender o próprio país. Podemos submeter um argumento jurídico original sobre como esta decisão abriria um precedente para cada país que adote leis antitabagistas e acordos de comércio similares. E podemos mostrar ao tribunal que ele terá apoio da opinião pública se decidir a favor do Uruguai e da proteção da saúde em toda parte. 

Quanto mais gente assinar, mais difícil será para o tribunal nos ignorar. Clique no link abaixo para assinar esta petição e encaminhe este email a todos os seus contatos:


Quando grandes corporações lançam ataques mortais ao nosso bem comum, nossa comunidade entra em ação -- da Monsanto à H&M, garantimos que os lucros não sejam colocados antes das pessoas. Esta é a nossa chance de vencer mais uma vez, em nome de todos nós. 

Com esperança, 

Equipe da Avaaz

sexta-feira, 10 de abril de 2015

STVBrasil - Sociedade Terra Viva participa de reunião do Conselho Estadual de Direitos Humanos

A Sociedade Terra Viva participou, nesta sexta-feira, 10, da reunião do Conselho Estadual de Direitos Humanos do RN, na sede da OAB em Natal, RN.

Na reunião, a STVBrasil foi eleita membro titular do Conselho e será representada pelos advogados Perceval Carvalo e Breno Rafael.

A reunião deliberou, ainda, pela indicação de nomes para comporem lista tríplice para o cargo de ouvidor de polícia do Estado do Rio Grande do Norte, que será encaminhada ao Governador Robinson Faria para escolha e nomeação.

Assessoria de Comunicação
STVBrasil

quinta-feira, 9 de abril de 2015

Marinha abre concurso para banda de fuzileiros navais de 2016

A Marinha publicou edital nesta quarta-feira, 8, de concurso público que vai selecionar corpo de fuzileiros navais a passarem por curso de formação de sargentos músicos de 2016. São 42 vagas para candidatos com pelo menos o ensino médio completo, das quais 20% são reservadas a negros. 
Há disponibilidade dos naipes são para flauta transversa em dó, clarinete sib, saxofone alto mib, saxofone barítono mib, trompete sib, trompa em fá, trombone tenor dó, euphoniun, tuba sib e percussão (bateria completa).
Os candidatos passarão pelas seguintes etapas: exame de escolaridade, prova prática de música, exame psicológico, inspeção de saúde e teste de condicionamento físico.
As inscrições podem ser feitas neste site, com taxa de R$ 44,00. Os selecionados passarão por 18 semanas de curso e receberão R$ 858,00 mensais nesse período. Após a graduação, os aprovados se tornarão terceiro sargento fuzileiro naval e terão salário mensal de R$ 3.980,00. Os candidatos devem ter no mínimo 1,54 m e no máximo 2,00 m de altura. 
__________________________
Fonte: Estadão

quarta-feira, 8 de abril de 2015

A arte de escrever para idiotas

Por Marcia Tiburi e Rubens Casara
Para aqueles que não lerão este artigo
Em nossa cultura intelectual e jornalística surge uma nova forma retórica. Trata-se da arte de escrever para idiotas que, entre nós, tem feito muito sucesso. Pensávamos ter atingido o fundo do poço em termos de produção de idiotices para idiotas, mas proliferam subformas, subgêneros e subautores que sugerem a criação de um nova ciência.
Estamos fazendo piada, mas quando se trata de pensar na forma assumida atualmente pela “voz da razão” temos que parar de rir e começar a pensar.
Artigos ruins e reacionários fazem parte de jornais e revistas desde sempre, mas a arte de escrever para idiotas vem se especializando ao longo do tempo e seus artistas passam da posição de retóricos de baixa categoria para príncipes dos meios de comunicação de massa. Atualmente, idiotas de direita tem mais espaço do que idiotas de esquerda na grande mídia. Mas isso não afeta em nada a forma com que se pode escrever para idiotas.
Diga-se, antes de mais nada, que o termo idiota aqui empregado guarda algo de seu velho uso psiquiátrico. Etimologicamente, “idiota” tem relação com aquele que vive fechado em si mesmo. Na psiquiatria, a idiotia era uma patologia gravíssima e que, em termos sociais, podemos dizer que continua sendo.
Uma tipologia psicossocial entra em jogo na história, baseada em dois tipos ideais de idiotas: oidiota de raiz, dentre os quais se destaca a subcategoria do idiota representante do conhecimento paranoico, e o neo-idiota, com destaque para o “idiota” mercenário que lucra com a arte de escrever para idiotas.
Vejamos quem são:
1- O Idiota de raiz é fruto de um determinismo: ele não pode deixar de ser idiota. Seja em razão da tradição em que está inserido ou de um déficit cognitivo, trata-se de um idiota autêntico.
O Idiota de raiz divide-se em três subtipos:
1. 1 – Ignorante orgulhoso: não se abre à experiência do conhecimento. Repete clichês introduzidos no cotidiano pelos meios de informação que ele conhece, a televisão e os jornais de grande circulação, em que a informação é controlada. Sua formação é “midiatizada”, mas ele não sabe disso e se orgulha do que lhe permitem conhecer. No limite, o ignorante orgulhoso diz “sou fascista”, sem conhecer a experiência do fascismo clássico da década de 30 e o significado atual da palavra, assim como é capaz de defender sem razoabilidade alguma ideias sobre as quais ele nada sabe. Um exemplo muito atual: apesar da violência não ter diminuído nos países que reduziram a maioridade penal, a ignorância da qual se orgulha o idiota, o faz defender essa medida como solução para os mais variados problemas sociais.  Ele se aproxima do “burro mesmo” enquanto imita o representante do conhecimento paranoico, apresentados a seguir.
1.2 – “Burro mesmo”: não há muito o que dizer. Mesmo com informação por todos os lados, ele não consegue juntar os pontinhos. Por exemplo: o “burro mesmo” faz uma manifestação “democrática” para defender a volta da ditadura. Para bom entendedor, meia palavra…
1.3 – Representante do conhecimento paranoico: tendo estudado ou sendo autodidata, o representante do conhecimento paranoico pode ser, sob certo aspecto, genial. Freud comparava, em sua forma, a paranoia a uma espécie de sistema filosófico. O paranoico tem certezas, a falta de dúvida é o que o torna idiota. Se duvidasse, ele poderia ser um filósofo. O conhecimento paranoico cria monstros que ele mesmo acredita combater a partir de suas certezas. O comunismo, o feminismo, a política de cotas ou qualquer política que possa produzir um deslocamento de sentido e colocar em dúvida suas certezas, ocupa o lugar de monstro para alguns paranoicos midiaticamente importantes.
Curioso é que o representante do conhecimento paranoico pode parecer alguém inteligente, mas seu afeto paranoico o impede de experimentar outras formas de ver o mundo, abortando a potência de inteligência, que nele é, a todo momento, mortificada. Isso o aproxima do “ignorante orgulhoso” e do “burro mesmo”.
Em termos vulgares e compreensíveis por todos: ele é a brochada da inteligência.
2 – O neo-idiota: o neo-idiota poderia não ser um idiota, mas sua escolha, sua adesão à tendência dominante, o coloca nesse lugar. Não se pode esquecer que, além de cognitiva, a inteligência é uma categoria moral. O neo-idiota não é apenas um idiota, mas também um canalha em potencial.
Há dois subtipos de neo-idiota:
2.1 – O “idiota” mercenário quer ganhar dinheiro. Ele serve aos interesses dominantes, mas é um idiota como outro qualquer, porque não ganha tanto dinheiro assim quando vende a alma.
Nessa categoria, prevalece o mercenário sobre o idiota. Por isso, podemos falar de um idiota entre aspas. Ganha dinheiro falando idiotices para os idiotas que o lerão. Seu leitor padrão divide-se entre o “burro mesmo” e o “idiota cool”. Ele escreve aquilo que faz o “burro mesmo” pensar que é inteligente. O idiota cool, por sua vez, se sente legitimado pelo que lê. O que revela a responsabilidade do idiota mercenário no crescimento do pensamento autoritário na sociedade brasileira. Apresentar Homer Simpson ou qualquer outro exemplo de “burro mesmo” como modelo ideal de telespectador ou leitor é paradigmático nesse contexto.
2.2 – O “idiota cool” lê o que escreve o idiota mercenário. Repete suas ideias na esperança de ser aceito socialmente. De ter um destaque como sujeito de ideias (prontas). Ele gosta de exibir sua leitura do jornal ou do blog e usa as ideias do articulista (do representante do conhecimento paranoico ou do idiota mercenário) para tornar-se cool. Ele segue a tendência dominante. Ao contrário do “burro mesmo”, nele sobressai o esforço para estar na moda. Como, diferentemente dos seus ídolos, ele não escreve em jornais ou blogs famosos, ele transforma o Facebook e outras redes sociais no seu palco.
Diante disso, temos os textos produzidos a partir da altamente falaciosa arte de escrever para idiotas. O sucesso que alcançam tais textos se deve a um conjunto de regras básicas. Identificamos dez, mas a capacidade para escrever idiotices tem se revelado engenhosa e não deve ser menosprezada:
1-    Tratar como idiota todo mundo que não concorda com as idiotices defendidas. O texto é construído a partir do narcisismo infantil do articulista. O autor sobressai no texto, em detrimento do argumento. Assim ele reafirma sua própria imagem desqualificando a diferença e a inteligência para vender-se como inteligente.
2-    Não deixar jamais que seu leitor se sinta um idiota. Sustentar idiotices com as quais o leitor (o burro mesmo, o ignorante orgulhoso e o idiota cool) se identifique, o que faz com que o mesmo se sinta inteligente.
3-    Abordar de forma sensacionalista qualquer tema. Qualquer assunto, seja socialmente relevante ou não, acaba sendo tratado de maneira espetacularizada.
4-    Transformar temas desimportantes em instrumentos de ataque e desqualificação da diferença. Por exemplo, a “depilação feminina” já foi um assunto apresentado de modo enervante, excitante, demonizante e estigmatizante. Nesse caso, o preconceito de gênero escondeu a falta de assunto do articulista.
5-    Distorcer fatos históricos adequando-os às hipóteses do escritor. Em uma espécie de perversão inquisitorial, o acontecimento acaba substituído pela versão distorcida que atende à intenção do autor do texto para idiotas.
6-    Atacar alguém. Este é um dos aspectos mais importantes da arte de escrever para idiotas. A limitação argumentativa esconde-se em ataques pessoais. Cria-se um inimigo a ser combatido. O inimigo é o mais variado, mas sempre alguém que representa, na fantasia do escritor, o ideal contrário ao dos seus leitores (os idiotas: o burro mesmo, o ignorante orgulhoso e o idiota cool).
7-    Reduzir tudo a uma visão maniqueísta. Toda complexidade desaparece nos textos escritos para idiotas.  O mundo é apresentado como uma luta entre o bem e o mal, o certo e o errado, o comunismo e o capitalismo ou Deus e o Diabo.
8-    Desconsiderar distinções conceituais. Nos textos escritos para idiotas, conservadores são apresentados como liberais, comunistas são confundidos com anarquistas, etc.
9-    Investir em clichês e ideias fixas. Clichês são pensamentos prontos e de fácil acesso. Sem o esforço de reflexão crítica, os clichês dão a sensação imediata de inteligência. Da mesma maneira, o recurso às ideias fixas é uma estratégia para garantir a atenção do leitor idiota (o burro mesmo, o ignorante orgulhoso e o idiota cool) e reforçar as “certezas” em torno das hipóteses do escritor (nesse particular, Goebbels, o chefe da propaganda de Hitler, foi bem entendido).
10-Escrever mal. A pobreza vernacular e as limitações gramaticais são essências na arte de escrever para idiotas. O leitor idiota não pode ser surpreendido, pois pode se sentir ofendido com algo mais inteligente do que ele. Ele deve ser capaz de entender o texto ao ler algo que ele mesmo pensa ou que pode compreender. Deve ser adulado pela idiotice que já conhece ou que o escritor quer que ele conheça.
(Para além do que foi identificado acima, fica a questão para quem deseja escrever para idiotas: como atingir a pobreza essencial na forma e no conteúdo que concerne a essa arte?)
A arte de escrever para idiotas constitui parte importante da retórica atual do poder. Saber é poder, falar/escrever é poder, e o idiota que fala e é ouvido, que escreve e é lido, tem poder. O empobrecimento do debate público se deve a essas “cabeças de papelão”, fato que é identificado tanto por pensadores conservadores quanto por progressistas.
O grande desafio, portanto, maior do que o confronto reducionista entre direita e esquerda, desenvolvimentistas e ecologistas, governistas e oposicionistas, entre machistas e feministas, parece ser o que envolve os que pensam e os que não pensam. Sem pensamento não há diálogo possível, nem emancipação em nível algum.
Se não houver limites para a idiotice, ao contrário da esperança que levou a escrever esse texto, resta isolar-se e estocar alimentos.

terça-feira, 7 de abril de 2015

'Dei muita risada dos protestos', diz relator de projeto da terceirização

Relator do projeto de lei que flexibiliza as regras de terceirização, o deputado
Arthur Maia (SD-BA) afirmou ter dado "muita risada" dos protestos capitaneados pelas centrais sindicais nesta terça-feira (7).
"Dei muita risada. Uma manifestação que reúne apenas 400 pessoas em São Paulo deve ser considerada um grande fracasso", afirmou o deputado à Folha.
Convocados pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) e pela CTB (Central de Trabalhadores do Brasil), as manifestações reuniram sindicalistas para criticar proposta que será votada nesta terça na Câmara dos Deputados.
Arthur Maia ainda ironizou a convocação da CUT para os protestos, afirmando estranhar o fato de a central sindical ser contra a terceirização.
"A CUT já é uma terceirização do PT na luta sindical. Não entendo eles serem contra", disse o deputado sobre as relações da central sindical com os petistas.
CORPO A CORPO
Na manhã desta terça, sindicalistas fizeram corpo a corpo com os deputados baianos no aeroporto de Salvador e receberam promessas de votos contrários ao projeto por parlamentares do PT, PC do B e PRB.
Um dos principais alvos dos manifestantes, Arthur Maia não foi encontrado pelos manifestantes –ele embarcou para Brasília na segunda-feira (6).
"Ele driblou a gente e viajou com antecedência. Não quis enfrentar o embate conosco", disse o presidente da CUT-BA, Cedro Costa e Silva.
Maia afirmou à Folha que sempre viaja para Brasília às segundas-feiras. Mas disse que não teria o que discutir com os sindicalistas. "Pensamos diferente. A opinião da CUT me interessa tanto quanto o campeonato de futebol de Afeganistão", justificou.
_______________________________
Fonte: Folha de São Paulo
Blog desenvolvido por Haendel Dantas | Blog O Mipibuense 2009